Casamento religioso


Casamento Religioso


Desde a criação do Mundo...

Quando Deus formou o homem do barro a mulher de suas costelas, chamou-os ao Matrimônio, a uma íntima comunhão de vida e de amor entre si, "assim, eles não são mais dois, mas uma só carne" (Mt 19,60). Ao abençoá-los, Deus disse-lhes: "Sede fecundos e prolíficos" (Gn 1,28)


... O homem e a mulher se unem em laços matrimoniais.  


316534_110369202406092_83533286_n.jpg



Quando Deus instituiu o sacerdote para o Seu Templo (Tenda na Ocasião), ordenou que praticassem diversas Leis civis, morais e religiosas. Era para que houvesse uma organização, direitos e deveres fossem respeitados e cumpridos, para que a sociedade que se formava e outras que se formariam, pudessem viver de forma harmoniosa.


Uma destas Leis foi a da união entre o homem e a mulher: "O homem deixará pai e mãe e se unirá à sua mulher, e eles se tornarão uma só carne" (Gn 2:24) – o objetivo é uma perfeita comunhão entre homem e mulher tornando-se uma só carne diante de Deus.


"Porque o SENHOR foi testemunha entre ti e a mulher da tua mocidade, com a qual tu foste desleal, sendo ela a tua companheira, e a mulher da tua aliança" (Ml 2:14). Casamento é uma aliança, e quando alguém faz uma aliança, assume um compromisso.


A Lei do matrimônio é universal, pois mesmo tendo um Ritual diferente para as diversas religiões existentes hoje, a Lei de Deus é a mesma para todos, pois somos filhos do mesmo Deus, do mesmo Pai, do mesmo Criador.


Com a Vinda de Jesus Cristo as Leis de Deus não foram modificadas, mas confirmadas por Ele: “das Leis de Deus não cairá um só pingo de i”. A Lei do divórcio foi consentida por causa da dureza do coração do homem (Mt. 19:1-9), o que não o livra da culpa do adultério em caso de uma segunda união.


Se o nosso Deus é um Deus de aliança, e Ele não quebra nem permite quebra de aliança, também não permite que o casamento seja quebrado (Ml 2:16). Mesmo no caso de adultério (único caso onde o divórcio é permitido), devemos perceber que o caminho de Deus não é a separação, mas o perdão. O divórcio neste caso, embora permitido, não é Seu desejo, não é de Seu agrado.


Por isso é importante que, antes de dar este importante passo e estabelecer esta aliança matrimonial, e receber este importante Sacramento, os noivos devem se preparar para conhecer esta estrutura matrimonial. Ficar cientes de seus deveres e obrigações conjugais e definir em seus corações se é isso mesmo o que querem. Para nos ajudar nisso a Igreja mantém cursos preparatórios para o matrimônio. Não deve apenas ser visto como um protocolo, uma burocracia ou obrigação a ser cumprida, mas no aspecto social e espiritual é de grande importância.


É importante a presença de Deus na vida do casal, para isso o Sacramento do Matrimônio os aproxima mais e mais de Deus através da pessoa de Seu Filho Jesus Cristo.